Nessa semana, aconteceu a nossa segunda sessão clínica de 2021, no Hospital e Clínica São Roque, sobre toxidade hepática por ervas, suplementos, medicamentos e anabolizantes – discussão de casos clínicos com os médicos Dr. Marcelo Silva e Dr. Vinícius Nunes, com a participação de toda a equipe de médicos e profissionais de saúde da unidade.

O uso indiscriminado de ervas e produtos naturais e o uso indiscriminado de suplementos e anabolizantes em todo mundo para fins estéticos, sem base científica, tem gerado esta situação. Estudos mostram que grande parte dos suplementos alimentares em todo mundo, encontram-se contaminados por outras substâncias hepatotóxicas, sem sequer estar descrito nos rótulos do produto.

DILI é o termo usado para denominar agressão hepática por medicamentos e xenobióticos (produtos químicos, anabolizantes e suplementos alimentares). HILI é a denominação específica para hepatotoxicidade por ervas e fitoterápicos. Representa uma importante questão de saúde pública, visto que é causa da grande maioria dos casos de hepatite fulminante no mundo e a segunda causa de indicação de transplante hepático por hepatite fulminante no Brasil.

Além da agressão hepática, os anabolizantes são os responsáveis pelo surgimento do câncer de fígado. A agressão ao fígado varia desde um quadro puramente de inflamação até quadro colestático e vascular. Por isso a importância de abordarmos esse tema em nossa sessão clínica.